quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

altruísmo, um valor altaneiro

Se a rapariga em causa fosse feia ou se não tivesse grandes atrativos, até se podia compreender; mas neste caso, Marlin até tinha uma carinha laroca e tinha um corpo bastante sensual, cheínha, mas toda boa. Então porque é que o moço em causa recusa fazer sexo oral à miúda, eu no lugar dele nem pensava duas vezes, era logo naquela altura que eu dava à rapariga todo o prazer que ela merecia. Claro que alterava o argumento nesta parte e punha o rapaz a fazer sexo oral àquela coisa boa.

No local do costume. 

sábado, 30 de Agosto de 2014


Um split screen entre discursos, personalidades e cores, unidos pela água, cujo som ouvimos durante os seis minutos, e o amor. Melhor que 95% do cinema português contemporâneo, estou simpático, hoje.

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

Eram os anos 70, sons adultos



Dois fotogramas de "Serpico", entre um e outro decorrem dois segundos. Olhando para eles, nada de mais. É preciso ouvir o que vai de um a outro, servem portanto estes fotogramas para irem ao seu encontro, se vos apetecer, claro. Recostado na cadeira, este personagem faz um movimento em frente. E o que se ouve é um chiar de cadeira tão duradouro, tão irritante quanto é maravilhoso ouvi-lo num filme, a limpeza com que o som chega aos nossos ouvidos, algo de facto de um outro tempo, impensável para os dias de hoje, em que nem seria preciso apagá-lo nas misturas, pois certamente aquela cadeira seria imediatamente substituída antes de filmar a cena. Nova Iorque, anos 70. Ainda não havia Giulianis no cinema.